segunda-feira, 25 de setembro de 2017

Doria comprou os fascistinhas do MBL

Por Altamiro Borges

O sinistro Movimento Brasil Livre (MBL), que até hoje não explicou as origens dos seus recursos, enganou muita gente com seus discursos raivosos contra os partidos e a política durante as marchas golpistas pelo impeachment de Dilma Rousseff. Aos poucos, porém, a máscara vai caindo. Na prática, vários fascistas mirins deste grupelho hoje estão pendurados em cabides de empregos em gestões da direita. O caso da capital paulista, governada pelo “prefake” turista João Doria, é o mais descarado. Nesta segunda-feira (25), o site UOL postou mais uma nota que escancara o cinismo deste movimento. O título é um tapa na cara dos “coxinhas” otários: “Membro do MBL que pintou muro de Doria ganha emprego na prefeitura”.

Escravidão define a sociedade brasileira

Do site Vermelho:

Reescrever a história dominante de que a corrupção é o que marca a sociedade brasileira é o tema do novo livro do sociólogo Jessé Souza. Para o autor do recém-lançado “A Elite do Atraso – da Escravidão à Lava Jato”, obra que faz o contraponto à ideia dominante sobre o país, é a escravidão o que de fato marca a sociedade brasileira. Em artigo publicado na última sexta-feira (22) na Folha de S.Paulo, o autor volta ao tema

O sociólogo classifica como “ridícula se não fosse trágica” a abordagem de Raymundo Faoro de que “a história do Brasil é a história da corrupção transplantada de Portugal e aqui exercida pela elite do Estado”.

A mídia enaltece agressores de mulheres

Por Iara Moura, na revista CartaCapital:

A estreia da 9ª edição do reality A Fazenda, pela Record, emissora do bispo Edir Macedo, ocorreu nesta terça-feira (12). O burburinho já comum em torno do fato, alimentado por anúncios da própria emissora em seus veículos e por reportagens, artigos e discussões em fóruns da internet, foi potencializado pela notícia de que dois dos 16 participantes, Marcos Harter e Yuri Fernandes, protagonizaram episódios públicos de violência contra a mulher.

O primeiro chegou a ser expulso da casa, após diversas agressões contra sua parceira na edição deste ano do BBB que culminou com a intervenção da Polícia Federal. Yuri, por sua vez, foi detido sob acusação de bater na então namorada, Angela Sousa, na época dançarina do Domingão do Faustão.

Moro e o método da máfia

Por Jeferson Miola

O jornal Zero Hora noticiou que numa palestra na Unisinos, em 21/9/2017, o juiz Sérgio Moro fez um “parêntesis cinematográfico” [segundo suas próprias palavras] para citar o filme O Poderoso Chefão.

Ele quis, com isso, exemplificar como determinado procedimento adotado pela máfia – que não é encontrável nas regras do Estado de Direito – pode ser empregado para alcançar objetivos na Lava Jato.

Moro citou a cena do filme em que o mafioso Don Corleone recusa o recebimento de dinheiro depois de executar um crime encomendado, preferindo tornar-se credor de um “favor” a ser pago no futuro – normalmente uma retribuição difícil e embaraçosa para o devedor, muito mais dispendiosa e custosa que o valor do “serviço” executado.

O furor da extrema-direita na Alemanha

Por Tereza Cruvinel, em seu blog:

Há uma semelhança e uma diferença entre o resultado da eleição de ontem na Alemanha e a conjuntura brasileira. A conquista de 13,5% dos votos na eleição alemã pelo partido de extrema direita AfD (Alternativa para a Alemanha) foi mais uma indicação eloquente do avanço dos extremistas de direita no mundo, que se traduz aqui no Brasil pelo segundo lugar de Jair Bolsonaro nas pesquisas de intenção de voto para presidente em 2018 e pela difusão dos discursos e comportamentos intolerantes e conservadores. 

Rejeição ao torturador da Globo dispara

Por Miguel do Rosário, no blog Cafezinho:

Ele é um juiz, não um político.

Mas já está com rejeição de político.



Sergio Moro, o carcereiro da Guantanamo curitibana, o torturador da Globo, já está com rejeição nacional de 45%, segundo o instituto Ipsos, que pertence a uma organização internacional respeitada.

Quem nos salvará do império decadente?

Por Nazanín Armanian, no site Outras Palavras:

“O que é mais importante para a história mundial? O Taliban ou o colapso do império soviético?” Foi a resposta do ex-assessor de segurança do presidente Jimmy Carter, Zbigniew Brzezinski, à pergunta da revista francesa “Le Nouvel Observateur” (em 21/1/1998) sobre as atrocidades cometidas pelos jihadistas da Al Qaeda.

Nesta entrevista, Brzezinski confessa algo mais: os jihadistas não chegaram do Paquistão para libertar sua pátria dos ocupantes soviéticos infiéis. Seis meses antes da entrada do Exército Vermelho no Afeganistão, os EUA puseram em marcha a Operação Ciclone. Enviaram ao Afeganistão, em julho de 1979, 30 mil mercenários, armados inclusive com mísseis Stinger para arrasar o país, difundir o terror, derrubar o governo marxista do doutor Nayibolá e atrair a União Soviética a uma cilada: o país seria convertido em seu Vietnã.

Lava-Jato afundou o Brasil

STJ avalia suspeição de Moro para julgar Lula

Da Rede Brasil Atual:

Um parecer do Ministério Público Federal (MPF), assinado pela subprocuradora Áurea Lustosa Pierre, coloca pela primeira vez a possibilidade de o Superior Tribunal de Justiça (STJ) apreciar a isenção do juiz Sérgio Moro para atuar em processos contra os ex-presidente Luiz Inacio Lula da Silva.

Em parecer de pouco mais de 20 páginas, a subprocuradora relaciona os principais fatos que mostram a falta de isenção de Moro e defende que o STJ discuta o pedido de suspeição do juiz federal Sérgio Moro, feito pela defesa do ex-presidente.

Cresce a onda conservadora no Brasil

Editorial do jornal Brasil de Fato:

Nesta semana, juiz do Distrito Federal conferiu uma liminar favorável aos profissionais psicólogos que acreditam que é possível tratar (ou curar) a homossexualidade.

No Brasil, o Conselho Federal de Psicologia deixou de considerar a homossexualidade uma doença em 1985, cinco anos antes de a Organização Mundial de Saúde (OMS) ter deixado de classificá-la assim. Antes disso, a homossexualidade era considerada um transtorno mental. E agora a decisão equivocada do judiciário abre brecha para essa volta ao passado.

Delação da Odebrecht contra PSDB não vale!

Por Fernando Brito, no blog Tijolaço:



Os mui ciosos membros do Ministério Público de São Paulo que investigam corrupção, segundo a Folha, "decidiram que não vão assinar um acordo com a Odebrecht para receber provas de que houve pagamento de propina em obras do Metrô, CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos), Dersa e DER (Departamento de Estradas de Rodagem)".

O motivo? Detalhes formais, que poderiam ser facilmente supridos: “a ausência de concordância da CGU (Controladoria Geral da União) e da AGU (Advocacia Geral da União) com os termos acertados, como está previsto na legislação brasileira”.

domingo, 24 de setembro de 2017

Temer corta 87% do orçamento do esporte

Por Altamiro Borges

Na cavalgada golpista pelo impeachment de Dilma Rousseff, muitos atletas na busca dos holofotes da mídia reforçaram o coro das seitas fascistas e saíram às ruas com os “patinhos amarelos” da sinistra Federação das Indústrias de São Paulo (Fiesp) e as camisetas da “ética” CBF. Ingênuos ou não, eles ajudaram a viabilizar o golpe dos corruptos que alçou ao poder a quadrilha de Michel Temer. Na semana passada, o covil golpista encaminhou à Câmara Federal sua proposta para a Lei Orçamentária Anual (LOA) que prevê uma redução de 87% nas verbas disponíveis para os programas do Ministério do Esporte. Cadê a provocadora jogadora de vôlei Ana Paula, o “fenômeno do oportunismo” Ronaldo – o “Ronalducho” – e os outros atletas midiotas?

TV Brasil cancela programa sobre mídia

Por Altamiro Borges

Neoliberalismo não combina com democracia. Esta é uma máxima confirmada no mundo inteiro. O golpe dos corruptos, que alçou ao poder a quadrilha de Michel Temer, só reforça esta tese. Para impor a chamada “Ponte para o futuro” – também batizada de pinguela para o passado com suas políticas de desmonte do Estado, da nação e do trabalho –, o covil golpista tem feito de tudo para cercear as liberdades. Na semana retrasada, a TV Brasil anunciou formalmente o cancelamento do único programa de análise crítica da mídia nativa – o “Ver TV”, apresentado pelo jornalista Laurindo Lalo Leal Filho. As sete famílias que monopolizam os meios de comunicação e que tiveram papel protagonista no golpe devem ter ficado aliviadas.

Programas religiosos invadem TV brasileira

Por Altamiro Borges

Contrariando a Constituição, que proíbe o arrendamento nas concessões públicas de rádio e tevê, os programas religiosos – a maioria de conteúdo fundamentalista e reacionário – estão ocupando cada vez mais espaços nas telinhas. Na semana passada, o “missionário” R.R. Soares passou a entrar ao vivo em três canais – Bandeirantes, RedeTV! e RIT, de propriedade do “pastor”. Conforme alertou Flávio Ricco, do site UOL, a invasão é preocupante. “Pode ser que já tenha havido experiências do tipo, porém trata-se de um fato que foge ao que normalmente acontece ou que estamos acostumados a ver. As igrejas na televisão do Brasil, independentemente das bandeiras que levantam, estão a cada dia mais ricas e poderosas”.

Blogueiros de Goiás em defesa da democracia

Por Marcus Vinícius, em seu blog:

O IV Encontro de blogueiros e ativistas digitais em Goiás reuniu blogueiros, ativistas digitais e militantes de movimentos sociais e comunitários do Estado. O evento, que é promovido pelo núcleo goiano do Centro de Estudos de Mídia Alternativa Barão de Itararé, foi realizado no auditório Costa Lima da Assembleia Legislativa na tarde de sábado (23).

O encontro se transformou num ato de defesa da democracia e das garantias do Estado Democrático de Direito. Os participantes enfatizaram a necessidade de retirada pelas vias democráticas do presidente Michel Temer do poder e rejeitaram as manifestações favoráveis a uma intervenção militar.

A promiscuidade entre Doria e o Lide

Por João Filho, no site The Intercept-Brasil:

Em junho, o prefeito de São Paulo colocou Luiz Fernando Furlan no comando da Conselho Deliberativo da SP Negócios, empresa de economia mista vinculada à prefeitura de São Paulo. Furlan é um dos donos da Sadia e foi ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior do primeiro governo Lula. Até aí tudo bem. O problema é que ele também é chairman do Lide e Presidente do Lide Internacional, grupo empresarial de propriedade da família do prefeito. A SP Negócios é presidida por Juan Quirós, que já foi presidente do Lide Campinas e o homem forte do comitê financeiro da campanha do prefeito. Antes de ser nomeado por Doria, Quirós teve seus bens bloqueados pela Justiça após ser acusado de usar uma rede de offshores para ocultar ser dono de uma firma que faliu.

Salvar o TBC para o Brasil

Enviado por Sérgio Mamberti

A classe teatral paulista repudia o anúncio de privatização de um bem público da importância histórica do TBC de São Paulo, legenda que encerra boa parte do patrimônio imaterial do teatro brasileiro junto aos teatros Oficina e Arena. Repudiamos com veemência a perspectiva desse teatro tornar-se um empreendimento puramente comercial.
 
Atores e atrizes, diretores, técnicos, pedagogos e produtores teatrais vêm a público lembrar que o TBC, além de constituir bem tombado em mais de uma instância de preservação do patrimônio, assim como os citados Oficina e Arena (este também adquirido pelo MinC), já consumiu mais de 20 milhões de reais do erário público em processos de compra e reforma do imóvel.

O infiltrado, a emboscada e a farsa judicial

Por Lina Marinelli, no site Jornalistas Livres:


Pra quem não sabe, esse senhor aí pagou de paquera no Tinder, andou por reuniões abertas da mídia independente, entrou em grupos de militantes e movimentos sociais até encontrar alguns jovens que o acolheram.

Então, no dia em que iam protestar contra Temer (o ilegítimo, o golpista, o que está entregando o Brasil, o que está acabando com direitos sociais e trabalhistas, o que está embrutecendo o futuro dos brasileiros, o que está deixando o país mais triste, opressivo, angustiado), Balta armou uma emboscada. Os jovens foram presos antes de chegar à manifestação. Ele era capitão do exército, era um infiltrado.

Pesquisa confirma decadência de Moro

Por Kiko Nogueira, no blog Diário do Centro do Mundo:

A nova pesquisa Ipsos traz um dado revelador e previsível acerca de Sergio Moro e sua nêmesis: enquanto a desaprovação do juiz sobe, a de Lula cai.

O prazo de validade de Moro expirou.

A tendência é de alta. No levantamento do mês passado, essa taxa subira nove pontos percentuais, de 28% para 37%. Agora foi para 45%. A série histórica do instituto teve início em agosto de 2015.

Segundo o Estadão, os dados foram colhidos entre os dias 1.º e 14 deste mês. Ou seja, antes e depois do depoimento de Palocci, considerado por toda a imprensa escrita, televisada e togada como a bala de prata na testa de Lula.

Os delírios sobre a "intervenção militar"

Por Breno Altman, em seu blog:

Pode parecer incrível, mas há vozes progressistas que passaram a defender intervenção militar ou a especular sobre seu eventual caráter positivo.

Não são apenas guerrilheiros de Facebook, aventureiros sem lastro ou falastrões em busca de fama.

Respeitáveis personalidades, como o professor Moniz Bandeira, talvez movidos por esse catalizador alucinante que é o desespero político, passaram a bater nessa tecla.

O delírio revela absurdo desconhecimento ou deformação do que sejam nossas Forças Armadas, seu papel no Estado e sua trajetória histórica.